9 de junho de 2010



" Eu vou construir um barquinho, pra junto com você
a gente poder fugir e se amar a noite inteira. "
Ele olhou pra ela e disse: eu te amo e nada mais me importa a não ser você. Eu quero construir uma família com você e realizar ao seu lado todos os meus sonhos.
Ela se emocionou e seus olhinhos se enchiam de lágrimas - o que era normal, já que só de abraçá-lo seus olhos se emocionavam - Parecia o galã dos filmes de romance aos quais ela sempre havia assistido com uma caixinha de lenços na mão. Era tão perfeito que as vezes ela pensava que era sonho, um menino tão maravilhoso ao lado dela, falando tantas coisas lindas...
Ela se entregou plenamente à ele, e provavelmente não tinha como não se entregar depois de tantas coisas bonitas que ele lhe falara aquela noite e sem contar no jantar a luz de velas com direito a rosas jogadas ao chão. Tão cavalheiro que não podia ser verdade.
.. E não era.
Duda acordou no dia seguinte imaginando como aquela noite havia sido perfeita. Carinhos e morangos a noite inteira para a hora que acordar e se virar, dar de cara com o chão.
O sofá de sua sala sempre fora muito pequeno para se dormir uma noite inteira, e quando isso acontecia Duda sempre acordava no chão frio. E dessa vez não tinha sido diferente.
- Como assim? Cadê aquela cama gigante e todas as pétalas de rosas.. e meu café da manhã?
Mais uma vez Duda sonhara tudo vendo mais um filme com uma caixinha de lenços na mão. Como era possível todos terem seu amor e ela ficar sonhando acordada com um homem que sequer existia?
06:50 da manhã. Provavelmente perderia a 1ª aula, mas ela estava sem pressa. Tomou o seu café com leite sossegada e pensativa...
No caminho da escola um menino muito apressado trombou nela e derrubou seus livros: Homens, só são bons em filmes e sonhos.
Mas dessa vez ela estava errada, pelo menos em relação à Pedro. Mais do que de pressa ela se abaixou para pegar os livros que havia derrubado sem querer e seus olhos encontraram os de Duda - Que olhos lindos ele tinha -
* Me perdoe pela indelicadeza, eu estava com pressa e nem sei porque, acho que estava com pressa pra te encontrar.
Uaaal, ela tinha ficado sem falas nessa hora e se beliscou. Ato um tanto repulsivo para o menino, mas ela sabia o que estava fazendo. Afinal, não queria se enganar de novo.
* Talvez eu também estivésse distraída para que você derrubasse meus livros.
Pedro ficou impressionado com a beleza de Duda, já que esperava por ela todas as noites. Já ela, não sabia porque mas era como se conhecesse Pedro há tempos e de fato conhecia, em seus sonhos de todas as noites...

Nenhum comentário:

Postar um comentário